As praias e calanques de Cassis

Cassis fica no mediterrâneo e bem pertinho de Marseille, uma das maiores cidades da França. Eu já tinha ido pra Cassis em outubro, mas queria mesmo era voltar durante o verão pra entrar naquele mar azul incrível! A cidade tem vários hotéis, inclusive um que fica dentro de um castelo, mas a gente ficou mesmo foi num acampamento porque era muito mais em conta. A cidade só tem um camping, o Les Cigales, e ele não é lá essas coisas, mas dá pro gasto.

cassis-calanques-4
Centro de Cassis
cassis-calanques-2
Porto do centro de Cassis
cassis-calanques-20
Creperia com vista pro castelo e pro porto da cidade
DCIM100GOPRO
Praia do centro de Cassis

DCIM100GOPRODCIM100GOPRODCIM100GOPRO

O centro da cidade tem praias, restaurantes, bares, sorveterias (inclusive a famosa Amorino) e até baladas. Mas o bom mesmo de Cassis são as calanques. Fomos a pé saindo do centro, passamos pela calanque de Port Miou, calanque de Port Pin e finalmente a calanque d’En Vau. Depois de passar por Port Pin escolhemos a trilha mais difícil (azul) pra chegar na calanque d’En Vau porque ia pela costa e dava pra ver o mar. Indo pela trilha mais fácil (vermelha) a gente não ia ter uma vista tão bonita.

cassis-calanques-13
Port Miou
cassis-calanques-14
Port Miou
cassis-calanques-6
Port Pin
cassis-calanques-7
Port Pin
cassis-calanques-5
Trilha pra calanque d’En Vau

cassis-calanques-8

DCIM100GOPRO
Ainda na trilha
cassis-calanques-12
Calanque d’En Vau

DCIM100GOPRODCIM100GOPRO

No dia seguinte a trilha pras calanques estava fechada por causa de risco de incêndio, então fizemos um passeio de barco pra ver 9 calanques saindo de Cassis na direção de Marseille. Se for pras calanques, lembre sempre de checar se as trilhas estão abertas. A gente usou o aplicativo MyProvence pra isso.

DCIM100GOPRODCIM100GOPROcassis-calanques-17cassis-calanques-19DCIM100GOPRO

Aiguèze, uma aldeia medieval

Aiguèze, que surpresa agradável!! No fim da rota panorâmica pelas gorges d’Ardèche fica essa cidade super lindinha. Nem sabíamos o que esperar dela, mas chegando lá ficamos de queixo caído. Uma aldeia medieval do século XII na beira do rio com as casinhas de pedra decorada com flores… um amor!! Não fizemos muita coisa por lá, só demos uma volta e tiramos muita foto. Não foi preciso de muito mais que 1h pra fazer isso! De lá seguimos viagem em direção a Cassis!

aigueze

aigueze-4

aigueze

aigueze-1

aigueze

aigueze-8

aigueze-2

aigueze-9

aigueze-7

Vallon Pont d’Arc, a porta de entrada para as gorges d’Ardèche

O verão aqui na europa é muito curto, então quando ele chega me dá uma doidera além do normal e eu já começo a querer fazer mil coisas e conhecer mil lugares em um curto espaço de tempo. Eu tive a sorte de ter férias do estágio em agosto, o mês mais quente do verão (e mais cheio também, mas eu tava nem aí). Programei logo uma viagem aqui pela França com muita água envolvida: Gorges d’Ardèche e Cassis.

gorges-ardeche-11

Nesse post vou falar sobre o passeio pelas gorges d’Ardèche. As gorges (ou cânions) se estendem ao longo de vários quilômetros e o primeiro desafio foi escolher em qual cidade a gente ia ficar. Depois de pesquisar um pouco vi que a cidade de Vallon Pont d’Arc tinha um arco muito lindo em cima do rio e por isso mesmo era chamada de ‘A porta de entrada para as gorges’.

Ficamos dois dias lá e no primeiro dia fizemos um passeio de caiaque, que dava pra escolher vários tipos de trajetos. Escolhemos o menor, de 8km, e ficamos umas 3 ou 4h com o caiaque. Paramos pra tomar banho bem embaixo do arco e foi muito legal ir olhando as paisagens. Custou 15 euros por pessoa e não tem horário marcado. Várias empresas oferecem esse tipo de passeio e organizamos tudo com uma que era parceira do lugar que ficamos.

caiaque ardeche

ardeche

arc ardeche

arc ardeche

No segundo dia fizemos o Canyoning e como é um passeio que tem guia, reservamos um dia antes. Infelizmente esquecemos a GoPro (sim, que burrice heheh), mas vou tentar explicar como funciona. Fomos dirigindo até o ponto de encontro e de lá o guia leva o grupo pela floresta até chegar no rio – é uns 20 a 30 minutos de caminhada. Eles dão uma roupa de neoprene (a água é muito gelada), a gente se veste e ai começa a aventura. A gente faz o trajeto a pé passando por mato, água, pedras… nessas pedras é possível saltar de 5m, 6m, 11m. Mas sempre tem uma opção sem salto pra quem não quiser saltar (eu). Entre saltos e banhos gelados no rio, a gente vai descendo até chegar no ponto final, que na verdade é no ponto de encontro do início. Os lugares que passamos eram muito muito lindo, mas eu não curti muito a vibe de ficar saltando na água gelada e caminhando por lugares de difícil acesso. Fiquei dolorida em vários lugares #velhice hehehe Esse passeio custou 40 euros por pessoa.

Depois do canyoning almoçamos e ficamos o resto da tarde na beira do rio só relaxando.

gorges-ardeche-6

ardeche

No terceiro dia, acordamos bem cedinho, arrumamos a barraca (sim, estámos acampando) e fomos fazer a rota panorâmica das Gorges d’Ardèche. São mais de 11 mirantes, construídos para uma única função: admirar a beleza das gorges. Essa rota é muito muito cheia e indo cedinho evitamos toda a multidão, a falta de estacionamento e o engarrafemento que fica por ali. Valeu super a pena acordar!!! O melhor é que era no caminho do nosso próximo destino, Cassis, e de quebra ainda conhecemos uma cidade suuper fofa no fim da rota panorâmica que nem esperávamos: Aiguèze.

gorges ardeche

gorges-ardeche-15

gorges ardeche

gorges ardeche

gorges ardeche

gorges-ardeche-14

Festival de percussão em Saint Pierre la Mer

Todos os anos, em junho, acontece em Saint Pierre la Mer, no sul da França, um festival de percussão. A maioria dos grupos têm inspiração nos ritmos brasileiros, o que torna esse festival ainda melhor hehehe

É uma viagem perfeita pra um fim de semana pois combina: sol, calor, praia e muita música =D E foi assim que fizemos. Alugamos uma casa pelo airbnb e éramos 6 ao todo. No vídeo dá pra ter um gostinho de como foi!

DCIM100GOPRO

DCIM100GOPRO

DCIM100GOPRO

DCIM100GOPRO

DCIM100GOPRO

DCIM100GOPRO

DCIM100GOPRO

Albi, a cidade do pintor Toulouse-Lautrec

Albi é a cidade natal do pintor Toulouse-Lautrec, mas além do museu dedicado a ele a cidade oferece paisagens incríveis. Albi fica nas margens do rio Tarn e as pontes dão um visual super fotogênico. A cidade fica pertinho de Toulouse, então se você tiver indo por lá vale demais dar uma esticadinha só pra ver essas pontes e esses prédios de tijolo vermeho.

albi-france-2

albi-france-3

DCIM100GOPRO

albi-france-4

O museu fica dentro do Palais de la Berbie, um palácio episcopal construído no século XIII. Os jardins que ficam dentro do palácio são lindos e a entrada é de graça. Já o museu custa 9 euros pra adulto e 5 pra estudante. Mais informações sobre horários e tarifas: site oficial do museu.

O que me motivou a ir pra Albi foi o museu de Toulouse-Lautrec. Talvez seja uma coisa de publicitária, mas TL foi responsável por fazer vários cartazes publicitários dos cabarés de Paris, entre eles o Moulin Rouge. Ele não só fazia os cartazes, mas era um assíduo frequentador de cabarés e a vida boêmia foi responsável pela sua morte precoce com apenas 36 anos. Eu amei o museu e pra mim valeu muito a pena a visita (mas não tirei foto lá dentro).

Jardim dentro do Palais Barbais
Jardim dentro do Palais de la Berbie

DCIM100GOPRO

DCIM100GOPRO

albi-france-5

Catedral St Cécile
Catedral St Cécile

Entre os muros de Carcassonne

Carcassonne é uma cidade que fica na região da Occitanie. Dentro dela se situa a Cité Médiévale, uma cidade medieval fortificada que desde 1997 é Patrimônio Mundial da UNESCO. A cité é super bem conservada e temos realmente a impressão de ser transportado no tempo. Lá dentro tem hotel, restaurantes, cafés, lojas, igreja, museu e até castelo.

Ainda do lado de fora das muralhas
Ainda do lado de fora das muralhas
A entrada
A entrada

img_20160416_110424992

img_20160417_093858235_hdr

img_20160416_110637280

É possível visitar o castelo e andar por suas muralhas. A gente vai dando a volta na muralha e descobrindo novas paisagens a cada virada, incrível! O valor do ingresso é 8,5 (tarifas diferenciadas pra estudantes, menores de 26 anos moradores da União Europeia, idosos, grupos etc: mais info aqui).

Ponte que leva pro Castelo
Ponte que leva pro Castelo

img_20160416_111032527

Muralha do castelo
Muralha do castelo
Uma das vistas lindas que temos lá de cima do castelo
Uma das vistas lindas que temos lá de cima do castelo
img_20160416_141200234_hdr
Théâtre Jean-Deschamps, em funcionamento até hoje

img_20160416_133937618_hdr

img_20160416_140821896_hdr

img_20160416_141455107_hdr

Por todo canto que a gente andava a gente via pratos expostos de Cassoulet, comida típica da região. Não resistimos e sentamos numa praça cheia de restaurantes pra comer. O prato é: feijão, confit de pato, linguiça… as carnes podem variar. Curtimos, mas foi difícil terminar porque é bem pesado.

img_20160416_122217816

img_20160416_122342427_hdr

Saindo da cidade murada, em direção ao centro da cidade nova, temos uma vista linda da cidade murada. O centro novo é a parte não dedicada a turistas, então tem lojas “normais”, bares, restaurantes… Indicamos o Bar à Tapas Le Passage, na Rue Trivalle. Delícia demais!!!

Cité Médiévale
Cité Médiévale

img_20160416_175215271

img_20160416_175621070

Centro "novo" de Carcassonne
Centro “novo” de Carcassonne

*Ficamos no Hotel Espace Cité, bem pertinho da cité médiévale e tem um preço ok. Pagamos 68 euros por noite num quarto pro casal, mas esse valor varia bastante de acordo com a estação. Nós visitamos a cidade em abril de 2016.